10 de abril de 2019

Realismo periférico tupiniquim

Volume 6 | Número 59 | Abr. 2019


Por Bernardo Salgado Rodrigues





Hoje, dia 10 de abril, é a marca dos 100 primeiros dias de Jair Bolsonaro na presidência do Brasil. Ainda que esse período inicial não seja tão representativo, se considerado um mandato de 4 anos, ele é simbólico em termos políticos, uma vez que demonstra a orientação desejada pelo governo recém-eleito. 

Nestes termos, a política externa é considerada uma das áreas que possui maior relevância no novo governo, buscando desvencilhar-se de seus predecessores e visando a uma nova geometria de poder nas relações internacionais, dizendo distanciar-se de qualquer viés ideológico em seu discurso. Sob a tutela de Ernesto Henrique Fraga Araújo, diplomata brasileiro e atual ministro das Relações Exteriores, o pêndulo da política internacional brasileira realizou uma rotação de quase 180º, findando em um movimento para a extrema-direita.

1 de abril de 2019

Cartografia e projeções de poder nas relações internacionais

Volume 6 | Número 59 | Abr. 2019


Por Bernardo Salgado Rodrigues


Mapa-múndi de Gerardus Mercator, de 1569.


Os mapas são a reprodução mais antiga do pensamento geográfico. Concebida como ciência da representação gráfica da superfície terrestre, a cartografia vem auxiliando numa maior compreensão visual das relações internacionais. [1]. No entanto, não é suficientemente sistematizada como meio através do qual uma classe dominante projeta sua visão de mundo. Em outros termos, a cartografia nunca foi uma ciência neutra, isenta, e sim uma representação adaptada da realidade, que promove relações de poder.