20 de maio de 2019

Internet e privacidade na Rra da Informação: novo paradigma para as Relações Internacionais

Volume 6  |  Número 60  |  Mai. 2019

Por Francisco Luiz Marzinotto Junior[1]


Nos últimos cinquenta anos, a tecnologia da informação evoluiu em uma escala exponencial nunca imaginada. Muitos pensadores contemporâneos afirmam que entramos em uma quarta revolução tecnológica-industrial, marcada pelo advento da Internet. Essa nova era traz consigo novos dilemas para as relações internacionais, que envolvem questões sobre soberania, segurança nacional e privacidade na era da informação.

Mas afinal, o que é uma “revolução tecnológica”? Na visão de Enerst Mandel (1985), são alterações sistemáticas na técnicado sistema produtivo de uma determinada sociedade que têm capacidade de afetar a produção como um todo. A história aponta três revoluções tecnológicas bem conhecidas: a primeira, entre 1760-1840, marcada pela transição dos métodos de produção artesanais para produção com máquinas; a segunda, em meados do final do século XIX-1945, caracterizada pelo desenvolvimento e expansão da energia elétrica no processo produtivo; e a terceira, ocorrida no pós-Segunda Guerra mundial, marcada por métodos de produção baseados na eletrônica e informática, período no qual surgiram os primeiros computadores e uma valorização da informação, afetando a velocidade de desenvolvimento científico como um todo. 

6 de maio de 2019

A Era Reiwa e os ventos da nova primavera no Japão

Volume 6  |  Número 60  |  Mai. 2019

Por Alana Camoça Gonçalves de Oliveira


Foto: Imagem de Kohji Asakawa por Pixabay


Foi na nova primavera, em um mês belo (rei), 
Quando o tempo estava bom e soprava uma gentil (wa) brisa
As flores de ameixeira desabrocharam em uma linda cor branca 
e na fragrância exalada das orquídeas, sentia-se um doce 
perfume (Man’yoshu. Tradução Interpretativa)

初春の令月にして、気淑く く風和ぎ、
梅は鏡前の粉を披き、蘭は珮後の香を薫らす.


Desde o final do século XIX, o Japão moderno vivenciou cinco transições de Imperador. A primeira foi a Era Meiji (1868-1912), onde o o arquipélago buscou emular tecnologias e instituições ocidentais com o objetivo de fortalecer o país diante de um cenário internacional cada vez mais ameaçador. Afinal, o século XIX foi marcado pelo expansionismo europeu e a queda de seu mais poderoso vizinho: a China.

A segunda Era foi a Taisho (1912-1926), sendo uma das mais curtas. Durante esse período, o Japão se fortalecia econômica, política e militarmente, após suas vitórias na Guerra Sino-Japonesa (1894-1895) e na Guerra Russo-Japonesa (1904-1905). A terceira Era, a mais longa de todas, foi a Showa (1926-1989), onde o Japão viveu profundas transformações. Afinal, enquanto nos anos iniciais o arquipélago consolidou seu expansionismo e a estratégia da “Esfera de Co-prosperidade da Grande Ásia Oriental”[1], pouco depois sofreu sua grande derrota na Segunda Guerra Mundial (GORDON, 2003; PYLE, 2007).