28 de fevereiro de 2018

Homenagem a Theotonio dos Santos (1936-2018): um "civilizador planetário"

Por Bernardo Salgado Rodrigues


Theotonio dos Santos (1936-2018) Foto: Clacso


Rio de Janeiro, terça-feira, dia 27/02/2018: a América Latina está de luto. Faleceu Theotonio dos Santos, um dos maiores cientistas sociais da história, um dos principais propagadores dos estudos da dependência no mundo (sendo, inclusive, mais conhecido e reconhecido fora de seu país natal). Ao buscar dialogar esta construção da teoria marxista latino-americana com a teoria do sistema-mundo, realizou uma convergência entre as contradições do capitalismo contemporâneo e do capitalismo dependente de forma crítica e original. 


Sucintamente, Theotonio fazia parte da corrente de cunho “dependentista marxista-revolucionária”, que gerou uma base teórica, histórica e dialética entre os fatores específicos da realidade latino-americana e as transformações do sistema mundial capitalista a fim de construir uma interpretação crítica do papel da região dentro desse sistema. A partir da constatação da dependência e na busca de sua superação, contribuiu para pensar caminhos políticos vis-à-vis as contradições características da condição periférica e dependente pela via da revolução socialista. Visualizando as especificidades dos países periféricos latino-americanos como parte integrante do sistema mundial, se afastou de qualquer ilusão igualitária em relação ao desenvolvimento capitalista. 

Em seus trabalhos, Theotonio dos Santos buscou entender a especificidade dos países periféricos e a relação que a dependência dos países latino-americanos impunha ao seu desenvolvimento no sistema capitalista. Para ele, 

la dependencia es una situación en la cual un cierto grupo de países tienen su economía condicionada por el desarrollo y expansión de otra economía a la cual la propia está sometida. La relación de interdependencia entre dos o más economías, y entre estas y el comercio mundial, asume la forma de dependencia cuando algunos países (los dominantes) pueden expandirse y autoimpulsarse, en tanto que otros países (los dependientes) solo lo pueden hacer como reflejo de esa expansión, que puede actuar positiva y/o negativamente sobre su desarrollo inmediato. De cualquier forma, la situación de dependencia conduce a una situación global de los países dependientes que los sitúa en retraso y bajo la explotación de los países dominantes. (SANTOS, 2011, p.361)

Em sua essência, o desenvolvimento dos países da América Latina possui padrões particulares, que estão atrelados à situação de dominação econômica, social e política a qual estão submetidos. Assim, estes padrões específicos determinam um desenvolvimento dependente que tem como característica fundamental a exploração tanto no âmbito das próprias economias nacionais, como na relação entre estas e os grandes centros de poder mundiais. 

Em se tratando de seu lado pessoal, tive o imenso prazer de conhecê-lo pessoalmente e até mesmo trabalhar, por um breve espaço de tempo, com ele. Recordo-me até hoje, ao realizar uma tradução para um de seus livros, sua hospitalidade e cordialidade em sua casa de Niterói, fazendo questão de acompanhar e debater algumas de suas ideias, sendo sempre um de seus pontos fortes, o debate incessante e plural. No meio dos afazeres, pegou em sua prateleira um de seus 38 livros publicados em mais de 16 idiomas, "Teoria da dependência: balanço e perspectivas", traduzido para o chinês, recomeçando uma nova rodada de aprendizados, e assim se sucedeu até o final daquela noite e nos outros dias que tivemos um contato mais direto. 

Theotonio nos deixa fisicamente, assim como os principais expoentes da Teoria Marxista da Dependência, como Ruy Mauro Marini (1932-1997) e Vânia Bambirra (1940-2015). Entretanto, seu legado está, a cada ano que passa, mais presente no Brasil, na América Latina e no mundo, cujo resgate é encorajado na medida em que sua teoria explica a realidade contemporânea. É dever das novas gerações de pesquisadores fazer jus ao excelente trabalho intelectual deste gigante, honrando seu nome na defesa de uma "civilização planetária" mais justa e igualitária. 

Nota: Seu último livro, "Desenvolvimento e civilização : homenagem a Celso Furtado" (Rio de Janeiro: EdUERJ, 2016) está disponível integralmente na Biblioteca Virtual do Clacso em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/se/20160330040647/Desenvolvimento_e_civilizacao.pdf


Referência

SANTOS, Theotonio dos. Imperialismo y dependencia. Caracas: Fundación Biblioteca Ayacucho, 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário